Um dia na vida de um Recolector

Luís Rafael, nº 16 e Pedro Santos, nº 22, 5º E

Luís Rafael, nº 16 e Pedro Santos, nº 22, 5º E

Certa tarde adormeci e sonhei que pertencia a um povo recolector.
A minha casa era uma cabana construída com ramos e peles de animais.
Durante o dia fazia várias actividades: pintava gravuras de animais e de caçadas nas grutas, e caçava, pois alimentava-me daquilo que a natureza me dava da caça e da pesca.
Adorava fazer armadilhas aos animais que caçava. Nessa tarde, numa caçada fiz a seguinte armadilha: escavei um buraco e coloquei dentro dele várias lanças, depois disfarcei-o com paus e folhas para que os animais lá caíssem e, para que eu e o meu povo os comêssemos de seguida.
Nessa noite, houve uma grande tempestade e através dela descobrimos o fogo. O fogo revolucionou o nosso modo de vida. Com ele podíamos afugentar os animais, cozinhar os alimentos, aquecermo-nos e iluminar a escuridão.
Estava eu a comer um pedaço de perna do mamute que cacei, sentada no chão, à beira de uma fogueira, quando a minha mãe me acordou.
Foi um sonho engraçado!

Carolina Ferreira Dias, n.º 7, 5º E

Categories: Uncategorized | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: